top of page
  • Foto do escritorFelipe Alecrim

Observabilidade


Nas últimas semanas, tive a oportunidade de participar de uma excelente palestra sobre a área de Qualidade, apresentado de forma brilhante pelo Henrique Mergulhão, um dos QAs mais fodas que já tive o prazer de conhecer e trabalhar junto. E esse treinamento me trouxe algumas reflexões em relação a conhecimento, descoberta e aplicação dos conceitos dessa área. Reflexões não apenas para o ambiente corporativo, mas para qualquer área da vida, tamanha profundidade e clareza nas informações que absorvi. A vida é um eterno aprendizado. Cada dia que passa a gente tem a oportunidade de conhecer mais coisas, absorver conceitos e tentar aplicá-los na dinâmica do nosso dia, seja profissional, pessoal, familiar e etc. Porém, quanto mais a gente sabe, menos a gente sabe!


É a teoria da Ilha do Conhecimento, onde a ilha representa o conhecimento que temos, mas é rodeada pelo "mar do desconhecido" e isso simboliza tudo aquilo que ainda não temos. Portanto, mesmo que nossa ilha fique cada vez maior, o "mar do desconhecido" ainda pode nos proporcionar uma busca diária por evolução e novas descobertas.

Entender que a gente tá bem longe de saber tudo e usar essa reflexão para buscar informações com pessoas qualificadas em cada área é cada vez mais importante no dia a dia. E repito, não digo isso apenas para ambiente profissional. Não importa o currículo, os certificados, a grande experiência na empresa multinacional ou seu grande dom divino de politicagem. Se parar no tempo e não evoluir, você fica pra trás. Inclusive, a politicagem pode cegar, pode te colocar numa espécie de "Trono" (que só existe na sua cabeça) e fazer com que você não veja valor em buscar aprendizado daqueles que estão em sua volta, pois na sua cabeça você é a SABEDORIA em pessoa e não pode receber ensinamentos de alguém "inferior ao seu trono". Tem muito disso, né? Pois é.

Fazer com que todos reflitam sobre o famoso "Dunning Kruger Effect" e pensar sobre: O quão bom EU PENSO que sou? E o quão bom EU REALMENTE sou? E por outro lado, compartilhar conhecimento com as outras pessoas também é algo nobre e muito importante. Independente da posição ou função dentro do time, sempre tem alguém que quer e precisa absorver conhecimento e é extremamente importante deixar que todos tenham voz, se sintam seguros e a vontade para compartilhar os aprendizados, sejam eles de hard ou soft skill. Isso vai dar um senso de pertencimento, importância e de evolução contínua ao time todo. É quando o conhecimento tácito se transforma em conhecimento explícito.

Alguns conceitos da área de qualidade são fascinantes e podem realmente moldar nossa rotina, como por exemplo: Verificação vs Validação; Prevenção de problemas; Defeito vs problema; Triplo E: Efetividade, eficiência e elegância, entre outros. Mas, teve um que mais me encantou e me fez refletir. O conceito/processo de OBSERVABILIDADE.

Segundo o próprio Mergulhão, “Monitoramento identifica ‘o que’ e a observabilidade tenta identificar ‘porque’. Monitoramento traz informação pra gente, mas informação por si só não significa nada. Observabilidade é quando a gente identifica essas informações e através dessas informações faz uma análise crítica para então conseguir definir o que fazer a respeito dessas informações”.

Por si só, esse já é um conceito bastante interessante pensando no fato de quanta informação nós recebemos no dia a dia, porém o que mais me encantou foi absorver pra tentar aplicar esse conceito em TUDO que rodeia nosso dia a dia. Observar ANTES de tomar decisão, analisar as informações e só depois agir. Pode parecer um pensamento muito óbvio e simplório, mas não é. Na busca pela sustentação dos nossos atos e discursos, o conceito da observabilidade pode ajudar muito em cada tomada de decisão. Tentar racionalmente condicionar nossa cabeça a pensar nisso antes de agir e assim consequentemente ter um discurso mais assertivo e ações dentro da realidade dos fatos, buscando as respostas a partir do “porque” está errado, que vai muito além do “o que” está errado. Inclusive, com o objetivo de não deixar que aquele problema se repita.

Por fim, não posso deixar de citar o quanto isso pode estar totalmente ligado à comunicação dos nossos dias (assim como tudo está rs). Pode ser mais uma técnica pra te fazer refletir ANTES de “sair falando”, como a gente vê muito por aí. Pensa um pouquinho antes de buscar seu corte de podcast com seu discurso raso e ilusório. Pense nos "porquês" antes de sugerir aquela solução que vai reinventar a roda. Repasse pelo processo, converse com as pessoas que efetivamente fazem parte do dia a dia daquele procedimento, ouça o que aconteceu, escute todo mundo e depois disso, de preferência junto com o time, busque a solução! Ninguém mais aguenta discurso raso e postura de “salvador da pátria” onde geralmente as coisas não se sustentam.

É o ensinamento que o conceito de observabilidade me trouxe.


Comentários


bottom of page