top of page
  • Foto do escritorFelipe Alecrim

#23_The Calling e Capital Inicial | Um Baita Festival 2024


registro dos shows mencionados com seus cantores

Shows 15 e 16 de 2024.

A meta era 10, mas passamos e já tem mais alguns programados para o resto do ano. Sempre com Thatóla, minha bruxa, mas dessa vez acompanhado também da Fer, minha irmã que eu tanto amo e que é a responsável (pra não dizer culpada) de me apresentar ao Rock'n Roll. 


O rolê foi o "Um Baita Festival" em Campinas. Primeira vez que tive a chance de ir nesse evento que teve sua segunda edição (eu acho) aqui na região. Sempre com um line-up voltado ao tão rico rock nacional. 


Lugar fácil de chegar, estacionamento custando o preço do ingresso, rolê open bar com comidinhas, bebidinhas, merch e bem aconchegante. Um belo fim de tarde de clima ameno, bastante apropriado pro Rock'n Roll.


Mas aí rolou a atração internacional...


Poder assistir um show do The Calling é mais um daqueles rolês pra deixar o Alecrinzinho adolescente feliz da vida. O disco "Camino Palmero" de 2001 (DOIS MIL E UM, PQP kkkk) foi muuuuuuuuuito tocado no DISCMAN azul que a Fer tinha. 


The Calling, Nickelback e Creed era a trinca da época. Assistindo Malhação, MTV, Mix TV… numa época onde "Anything", "Things Will Go My Way", "Adrienne" e obviamente "Wherever You Will Go" faziam parte da trilha sonora da vida. 


Pô, 2001 eu tinha NOVE ANOS! hahahahaha. 


Mesmo com um atraso que acabou afetando e encurtando o setlist de todas as bandas, o show foi ótimo. Cada música que passava me levava pro Giga Byte da Malhação pedindo um suco de laranja pra Dona Vilma. 


Não tocaram "Things Will Go My Way", mas todos os outros hits estavam lá! A banda ficou VINTE ANOS parada porque o Alex Band (vocalista) precisou se tratar do Mal de Parkinson. Mas está bem demais. Cantando muito e entregando tudo no palco. 


Rolou o single novo "Stand Up Now", mas obviamente o ápice do show foi "Wherever You Will Go" cantada pelas 10 mil pessoas do festival.


The Calling ao vivo foi mais um CHECK pra vida! 


Mas, pra minha surpresa, esse NÃO FOI o melhor show da noite. 

O Capital Inicial é muito foda!


Você pode não gostar, não ouvir no som do carro, mudar de canal quando eles aparecem na tv, achar uma merda, nunca ter curtido e etc.

MAS VOCÊ PASSA O SHOW INTEIRO CANTANDO! 


Precisa respeitar os caras. 40 anos de estrada.

Um dos responsáveis diretos por popularizar o Rock no Brasil. A nível de massa mesmo, multidão. Do adolescente ao idoso, o Capital Inicial tem MUITO HIT. 

O ré maior (C# tecnicamente, porque estava meio tom abaixo rs) de "Natasha" é inconfundível. 


"Primeiros Erros", "Não Olhe pra trás", "A Sua Maneira", "Natasha", "Tudo que Vai", "Independência", "Olhos Vermelhos"... 

Você pode não conhecer essas músicas apenas pelo nome, mas vai saber cantarolar caso ouvi-las. 


Dinho Ouro Preto é uma lenda viva do rock nacional. Tem que respeitar o mano.

Ainda cantando, performando muito bem e sabendo controlar uma multidão como poucos conseguem. 


Geralmente, eu passo semanas ouvindo a playlist dos próximos shows ANTES dele acontecer. Num nível até de deixar um pouco pra lá depois que o show passa. 

Mas, com o Capital foi o contrário. Gostei tanto do show que voltei a ouvir a banda DEPOIS do show rs.


Ps. Infelizmente eu não consegui ver o show do Nando Reis, dos Paralamas do Sucesso e do Biquini Cavadão, por isso a resenha apenas sobre The Calling e Capital.


Já pude ver os Titãs, Barão Vermelho, Nx, Dead Fish, Gloria, Fresno, CPM, Pitty e agora o Capital Inicial.


O ROCK NACIONAL É FODA PRA CARALHO! 

Comments


bottom of page