top of page
  • Foto do escritorFelipe Alecrim

#15_Resgate e Oficina G3 - NADOQ INDY TOUR | Campinas 2023


Dia 01/11/23 chegou e com ele mais uma chance de ver um show do Oficina G3 (se não me engano, o quinto ou sexto show deles que pude ver) e dessa vez acompanhado de outra banda absurdamente clássica do rock nacional, o Resgate.


Antes de tudo, vale o contexto.

Eu sou Cristão e tenho muito orgulho e gratidão a Deus pela minha fé. O meu molde de como viver em sociedade parte do exemplo de Jesus Cristo e é por Ele que eu tento, mesmo dentro de toda minha limitação, ser uma pessoa melhor no convívio em sociedade.


De onde eu vim? Pra onde eu vou? Qual a sua fé? Qual Deus você crê? Se não crê em nada? O que você acredita ou não acredita? O que você faz ou deixa de fazer? Quais seus métodos, liturgias, doutrinas etc etc etc? De verdade, hoje em dia ISSO NÃO ME IMPORTA.


Meu entendimento é que espiritualidade e fé (ter ou não ter) são coisas completamente individuais que não cabe a ninguém te encher o saco sobre o assunto, mas sim respeitar e conviver com as diferenças que cada ser humano tem o direito de possuir.


Afinal de contas, se realmente existem dois caminhos após a morte, definitivamente é como nós vivemos em sociedade na terra que vai definir para onde nós vamos.

É nisso que me apego e é nisso que se baseia minha existência.


Hoje em dia, tenho esse contexto comigo, depois de passar quase 20 anos vinculado a uma instituição religiosa e carregar muita gratidão, ensinamentos, momentos bons, ruins, amizades eternas, amizades desfeitas, traumas e alegrias.


Sinto, honestamente, aquele amadurecimento em relação à fé que me faz viver muito feliz, tranquilo e racionalmente bem!


Dito isso, com esse contexto vem algo meio óbvio na pauta: OFICINA G3 FAZ PARTE DA MINHA VIDA DESDE OS MEUS 7 ANOS DE IDADE!


Uma criança no contexto cristão, envolvido com música desde muito cedo e que a aula de bateria levou naturalmente pro lado ROCK`N ROLL da vida. Não seria possível não ser impactado pelo som do G3 desde sempre.


Eu era o adolescente que ia na igreja com a camiseta do ACDC (várias broncas por isso, inclusive kkkkkk), o cara que puxava as versões rock`n roll dos louvores, batera que quebrava baqueta sempre e no meio de tudo isso estava sempre o G3.


Ir no culto de jovens e ouvir o solo de "Espelhos Mágicos", achar impossível de reproduzir as músicas igual os caras, perder as contas de quantas vezes ouvi os discos, esperar na porta a loja abrir pra comprar o CD no dia do lançamento… enfim, eu poderia passar horas aqui contando histórias com o G3 de trilha sonora.


Uma banda, inclusive, que "estourou a bolha", que é reconhecida e respeitada por músicos e artistas no mundo todo por conta da virtuose e monstruosidade técnica dos caras. Juninho Afram, Jean Carllos, Camarada Duca Tambasco, PG, Waltão, Alexandre Aposan, Lufe, Mauro Henrique, Déio Tambasco, Manga e talvez alguns outros que posso ter me esquecido.


Esses caras definitivamente moldaram minha adolescência, pois levantaram e carregaram uma bandeira muito importante do rock dentro das igrejas! Gratidão eterna a tudo que o G3 representa.


"Histórias e Bicicletas" pra mim é o melhor disco de rock cantado em português que esse mundo já viu. Uma obra de arte em todos os aspectos do primeiro ao último minuto.


Lá no Extrema.Mente PodCast, eu tive a honra de trocar ideia com o PG e também com o maior bassman desse país, Duca Tambasco, camarada, que inclusive, me representa ideologicamente, carregando a mesma bandeira que eu no sentido da esperança e ativismo para uma sociedade mais igualitária, justa para classe trabalhadora, aos pobres, contra a burguesia controladora e exploradora e principalmente contra esse bando de gente fajuta e irresponsável que abusam da fé alheia para benefícios próprios.


Lutando contra ideologias fascistas, discursos homofóbicos, machistas e que visam promover um pensamento ideologicamente podre, egoísta, supremacista, racista e

preconceituosos principalmente contra minorias. Algo que deveria ser básico nesse meio, mas infelizmente no Brasil de hoje, está bem longe de ser.


Duca tem meu maior respeito e admiração. Você é gigante, mano!


Dito tudo isso, vamos a resenha do show de ontem!


O rolê aconteceu na Igreja Batista da Amoreiras em Campinas, lugar muito bonito, grande e organizado. Devia ter por volta de umas 2 ou 3 mil pessoas, eu acho.


O Rock`n Roll começou com os caras do Resgate e….


… o Resgate é maravilhoso! Puta banda foda! Hard Classic Rock total, com nítidas influências de Guns`n Roses, Aerosmith, Kiss, Van Halen e várias outras. Os caras apresentam aquilo que já falei em algumas resenhas: ROCK CRU e VISCERAL! 4 caras, 4 instrumentos musicais e música foda atrás de música foda.


Os tiozinho tão voando kkkk! A banda geriátrica mais clássica do rock cristão no brasil. Gostei demais e me surpreendeu demais. Hoje em dia, a sonoridade do Resgate era a que eu queria ter numa banda pra chamar de minha rs. Hard Rock, irmão! Muita distorção, solo de guitarra, bass estralando e intensidade altíssima!


Um show de quase 1 hora que além de tudo ainda rolou solo do hino do Palmeiras e beijo pro Abel Ferreira kkkkkk. Saudações Palestrinas, Zé Bruno meu bruxo!


Aí o G3, que não sabe brincar, desceu pro play kkkkkk.


A tour "Nadoq Indy" traz os principais hits de 3 discos clássicos da banda: "Nada é tão velho, nada é tão novo"; "Indiferença" e "Além do que os olhos podem ver".

3 discos cheio de hits históricos da banda. Aí não tem a menor possibilidade do show ser ruim rs.

PG tá voando, bicho! Cantando muito. Eu lembro que no papo do ExtremaMente PodCast ele disse ser muito fã do Myles Kennedy, vocal do Alter Bridge do qual eu também sou muito fã, mas que se incomodava com a pouca entrega e animação do MK nos shows ao vivo do AB. Fato que definitivamente não se aplica ao PG.


Presença de palco absurda e potência de voz invejável. Dos grandes nomes do rock BR, uma aula de técnica e intensidade.


Revezando os vocais com a lenda viva, mestre Juninho Afram. Tá maluco, mano… O Juninho é uma aberração da natureza. É papo de dar vontade de nunca mais tocar guitarra na vida. Uma performance realmente absurda.


Jean, pra mim, é o maior e melhor tecladista/pianista do rock BR de todos os tempos. Tudo o que ele controla, performa e entrega ao vivo é genial e eu nunca vi igual.


Duca Camarada Tambasco é exemplo, inspiração e professor!


E além desses caras clássicos, ainda rolou o Lufe entregando tudo na batera e o Déio Tambasco, irmão do Duca, nas guitas bases, que também é outro monstro sagrado.

A verdade é que não tinha ninguém naquele palco que não seja lenda viva em relação a fazer música, mano! O G3 é e sempre foi absurdamente foda.


Passamos por "indiferença", "Davi", "Espelhos Mágicos", "Mais Alto", "Profecias", "Magia Alguma", "Deus Eterno", "Naves Imperiais", "Novos Céus", "A Lição", Ver Acontecer", "De Olhos Fechados" e pra levar a loucura a galera, o show termina com o hit "Mais que Vencedores" e ainda dá tempo pra "Glória" no bis, com direito a PG no bass e Duca na batera.


Resgate e Oficina G3 são entidades do Rock Cristão no Brasil e no mundo!

Quanto mais envelhecem, melhores ficam.

Quanto mais o tempo passa, mais se tornam lendas.


O legado, a motivação, o objetivo e as bandeiras que essas bandas carregam são eternas.

Gratidão a Deus pela vida e talento desses caras!


bottom of page