top of page
  • Foto do escritorFelipe Alecrim

#12_Demi Lovato + Post Malone | The Town 2023


Dia 1 do mais novo festival de São Paulo, o irmão mais novo do Rock in Rio, "The Town".

MAS FOI UM PUTA DIA CAÓTICO! kkkk vem pra resenha.


Antes de falar dos únicos shows que a gente (eu e sempre ela, Thatóla minha bruxa) conseguiu ver, quero relatar a experiência do festival em si.

UM CAOS! Fim. kkkkkk.


Alguns pontos foram até positivos. Os palcos são imensos e lindos, a qualidade do som é muito foda (mas ainda não vi nada igual a qualidade do Blues Festival), o espaço do autódromo de Interlagos é gigante e realmente capaz de comportar as + de 100 mil pessoas presentes. CONTUDO, PORÉM, ENTRETANTO, TODAVIA… algumas coisas BÁSICAS deixaram muito a desejar.


A organização do festival fez uma campanha gigante para que as pessoas evitassem de ir de carro ao rolê e que priorizassem a ida por metrô e ônibus em suas linhas dedicadas ao festival, porém diversas falhas técnicas, falta de informação e direcionamento deixaram tudo isso bastante caótico.


Além disso, o lado de fora do festival estava insano e a desorganização também resolveu não trabalhar. Filas quilométricas e apenas 2 portões disponíveis para a entrada de todo mundo. Tudo isso sem nenhuma organização sobre a ordem da fila e etc. Ficamos quase 3 horas para conseguir entrar (assim como no Knotfest).


E a cereja do bolo foi: CHOVEU PARA UM CARALHO! PUTA QUE PARIU, COMO CHOVEU!

Aí, obviamente, não dá pra culpar a organização pela chuva, porém a estrutura do festival não estava preparada nem sequer 1 pingo de chuva, quanto mais os mil litros que castigaram a gente rs. E isso fez com que tudo fosse ainda mais caótico.


Por conta de tudo isso, não conseguimos ver o show do Planet Hemp e nem entrar em qualquer ativação das marcas que estavam ali.


Eu sei que muitas vezes é impossível evitar algumas coisas em qualquer evento para 100 mil pessoas, mas várias delas podem ser evitadas a partir de uma organização melhor. Ainda mais considerando que foi um evento com média de preço de 800 por ingresso.


MAS ENFIM! Perrengue a parte, vamos aos shows…


Demi Lovato foi foda pra caralho!

A minha referência e (pouco) conhecimento sobre ela, era pra época de Disney e toda sua carreira mais pop. Até então não acompanhava tão de perto, PORQUE EU SOU DO ROCK NÉ MEOOOOOO (leia com voz de PAULISTANO DA MÓÓÓÓÓCA MEOOOO).


Mas aí, a Demi aparece nessa fase Rock'n Roll e me faz ser obrigado a me tornar um LOVATIC!


Cara, o show dela foi impecável!

Puta voz foda, zeeero playback, controle perfeito e segura perfeitamente todas as versões ou músicas novas nessa pegada Rock`n Roll.


A banda, formada só por minas, também estava absolutamente fantástica.

Com destaque indo pra baixista Leanne Bowes com aquele timbre "Duff Mc" com o play cravado, insano e linhas de bass com referências claras do Hard Rock que eu tanto curto.


Outra coisa que me chamou atenção foi a mix do show. Com os sons da Demi partindo mais pro Hard Rock e até Metalcore (com breakdowns e riffs dropados), a mix que chegou pro público me lembrou os shows de bandas de rock dos anos 80 e 90, onde a guitarra, o bass e voz ficam em primeiro plano. Diferente do "mais comum" de hoje em dia onde a batera que geralmente vem mais pra frente.


As 5 primeiras músicas foram espetaculares em peso e timbres. Pedrada atrás de pedrada. Fiquei muito impressionado!


Aí, pra completar o excelente show, Demi fez o feat com a Luiza Sonza, tocando o som "Penhasco 2", música lançada essa semana no disco da Luiza. E a interpretação ao vivo foi de arrepiar, inclusive com a Demi cantando em português.


Enfim, um dos poucos momentos sem chuva do festival e que deu pra curtir um putaaaa show de ROCK'N ROLL! Um show pra roqueiro velho ranzinza nenhum botar defeito!


I'm fucking Lovatic now!


Aí o BRASILEIRO Austin Post Malone chegou pra encerrar a noite debaixo de MUITA (mas, assim… MUITA MESMO) CHUVA!


Ao contrário da Demi, o Post eu já conhecia mais, até porque a Thaisa é muito fã, então eu fui ouvindo nos últimos meses/anos. É um som que me dá vontade de jogar basquete rs.

Porém, o que sempre me incomodava nos shows do Post era a ausência de banda. O show do último Rock in Rio, por exemplo, achei bom, mas poderia ter sido melhor se tivesse o peso de uma banda pra deixar as músicas mais pesadas e tal. (Minha opinião).


E ontem no The Town foi exatamente o que eu sempre quis!


Post chegou com uma banda FODA! Guitarra, baixo, um batera animal, cordas, pianos, sintetizadores e backing vocals. Deixando o show muito pesado, agressivo e bastante Rock`n Roll.


Com a mescla dos grandes hits com singles do último disco, "Austin", lançado recentemente. Com destaque para versão rock'n roll do hit "Better Now" que abriu o show a mil por hora.


E a parada que mais me chamou atenção (que sempre chamou atenção de todos os fãs) é o carisma e simpatia do Post para com os brasileiros. Energia, entrega, disposição, simpatia e entretenimento puro nas quase 2 horas de show do BRASILEIRO POST MALONE.


Inclusive, quando pensarem em trazer rappers para shows no Brasil, esqueçam os arrombados (tipo o Drake) e tragam sempre o Post Malone. É evidente o quanto ele se sente em casa no Brasil.


Mesmo com muita chuva e nessa altura do campeonato muito cansaço, o show do foda! Post prometeu e entregou um showzão pra encerrar em grande estilo o primeiro dia de The Town.


A fase rock`n roll do Post Malone está vindo, hein! A gente sabe o quanto ele tem muita referência no rock e capacidade de fazer muito bem feito. Ontem rolou até gutural, po!


Os shows foram inesquecíveis, mas no fim das contas, a esperança é que o festival corrija alguns erros para que a experiência seja satisfatória de forma completa.


ATÉ PORQUE, SÁBADO QUE VEM TAMO LÁ DE NOVO, HEIN!

Comments


bottom of page